Psicoativos e Enteógenos

Um Curto Jejum Como Potencializador dos Efeitos de Psicodélicos

Uma pequena recomendação para aquele dia reservado a uma viagem psicodélica

É amplamente conhecida e difundida a tradicional prática do jejum prévio ao consumo de elementos psicodélicos. Isso se observa nas mais diversas sociedades de traços xamânicos em todas as partes do planeta, sendo possível afirmar que os grupos que não adotam este costume representam a grande minoria.

Geralmente, tal hábito se resume ao mesmo dia em que se dá a ingestão da substância, mas em algumas tradições a dieta se estende por vários dias preliminares a tal evento. Este é o caso de algumas linhagens indígenas da Amazônia (que utilizam Ayahuasca, Chiric Sanango, Toé, entre outras plantas) e dos EUA e México (que em alguns casos fazem o uso do cacto Peiote trás a “busca da visão” – uma iniciação que basicamente consiste num longo jejum solitário/introspectivo em meio à natureza).

Ainda que estes últimos exemplos certamente pareçam um tanto radicais à nossa cultura, é importante notar que mesmo um pequeno jejum no mesmo dia em que se faz o uso de um psicodélico intensifica (às vezes muito) seus efeitos. Há uma série de explicações científicas/biológicas para tal, além de milhares de anos de constatação empírica deste fato – observando-se que este texto apenas diz respeito a substâncias ingeridas, excluindo-se portanto os psicodélicos fumáveis (ao exemplo da Salvia divinorum).

Deve-se mencionar também que esta prática tem o único intuito de ampliar os efeitos psicodélicos propriamente ditos (lembrando que “psicodélico” vem do grego psique delein – o que revela a mente). Dessa forma, tal abstenção logicamente não faria sentido quando se faz o uso de um psicoativo com propósito lúdico/recreativo – até mesmo porque nestes casos dificilmente se utilizam dosagens de volume sequer próximo aos aplicados nas mencionadas iniciações tradicionais, sendo assim fora de contexto a intensificação da experiência psicodélica.

Jejum para experiência psicodélica
Se você for passar o dia sozinho(a) num lugar 100% tranquilo, que tal comer nada mais que cogumelos enteógenos na primeira refeição do dia?

Resumindo, este artigo é uma referência exclusiva ao(à) psiconauta propriamente dito(a), cujo propósito, tal qual em linhagens xamânicas milenares, deve ser a ampliação da mente e dos sentidos. Se você se identifica com isso, faça um desjejum com nada além de seu psicodélico de preferência. Caso você prefira “viajar” de noite, então experimente abster-se do almoço. Certamente sentirá uma considerável diferença… E logo os “alimentos dos deuses” apresentarão toda sua fartura, até que a sua fome de conhecimento seja saciada.

Compartilhe… Coletivize… Psicodelize!

Compartilhe com o Universo
  • 41
    Shares
Etiquetas
Fechar
Fechar