Psicoativos e Enteógenos

Por Que Você Deveria Gostar Mais de Enteógenos Que de Maconha

O fato de conduzir o usuário a um prazeroso estado de relaxamento mental e contemplação, o que por si só faz da cannabis a planta psicoativa mais utilizada no mundo, não significa que a erva figure no rol de substâncias enteógenas, tais como cogumelos, ayahuasca, peiote, etc. A razão disso é clara: os efeitos da maconha não se processam de forma alheia à vontade e ao ego do indivíduo, ao passo em que, numa experiência enteógena, resta ao psiconauta render-se às revelações que se lhe apresentarão – o que resulta numa grande lição de vida. 

Em outras palavras, fume um baseado, por mais forte que seja, e amanhã você ainda será a mesma pessoa, olhando a vida com os mesmos olhos (talvez ainda um pouco vermelhos e “estourados”, mas enxergando a mesma realidade). Em contrapartida, coma uma dúzia de cogumelos psilocibínicos ou beba um copo de uma boa ayahuasca, por exemplo, e amanhã você e sua maneira de ver o mundo não serão mais os mesmos…

 

A maconha é uma companheira que lhe trata muito bem em todas as situações, sem nunca discordar de você… Mas será que essa é a amizade ideal?

“Afinal, por que eu deveria preferir as insólitas viagens enteógenas às delícias canábicas?”

Porque o enteógeno é aquele seu amigo chato e antissocial que lhe diz as verdades na cara, provando e comprovando que ele de fato conhece tais verdades – como você pode perceber, ele não é lá muito popular. Já a maconha é o seu amigo divertido, cuja companhia todos adoram em qualquer momento (seja no trabalho ou no lazer), pois dá tapinha no ombro, é agradável e tem um bom papo – logo, é sociável e muito popular. No fim das contas, você tem motivos pra gostar dos dois, mas a balança sempre tende a pesar mais pro lado da descontração prazerosa que do mergulho profundo… Em outras palavras, as pessoas quase sempre preferem o conforto ao confronto (ainda que o confronto psicodélico se dê apenas no plano psíquico individual).

Diga-se de passagem, uma das ilusões mais absurdas já promovidas por nossa cultura é a preconceituosa visão da enteogenia como algo recreativo, perigoso ou uma fuga da realidade. Na verdade, trata-se de um autêntico trabalho de evolução como ser humano, tanto seguro quanto equilibrado. Não se deve jamais julgar ninguém por preferir o mais fácil, mas é bom salientar que, muitas vezes, o mais difícil rende melhores frutos.

Compartilhe… Coletivize… Psicodelize!

Compartilhe com o Universo
  • 61
    Shares
Etiquetas
Fechar
Fechar