Consciência

O Poder de Transformação de Presidiários Através da Meditação

Meditação Vipassana como técnica de reinserção de presos na sociedade

Existem diferentes formas de reintroduzir presos na sociedade a partir de medidas socioeducativas, preparação para o mercado de trabalho, trabalhos de entidades religiosas e também (poucas) experiências de rituais com ayahuasca e ibogaína, que são capazes de trazer alterações significativas nos detentos que tenham interesse em mudar.

Nesse aspecto, ter o interesse de mudar para melhor é a premissa básica para que todo o trabalho de medidas socioeducativas, entidades religiosas e rituais enteógenos tragam efeitos positivos na vida dos presos de forma transformadora. Se o preso simplesmente não tem interesse em mudar, de nada adianta ter programas como esses citados, pois não surtirão efeitos em quem não deseja evoluir e transcender enquanto ser humano.

Todas as formas citadas podem trazer enormes contribuições pra comunidade carcereira (agentes penitenciários, policiais, delegados, presos e amigos e familiares de presos), porém uma forma mais profunda de transformação só pode ser gerada quando há uma atmosfera de paz entre a comunidade e perspectivas de alterações mentais através de mentes equilibradas.

Escrevo isso pois com uma mente equilibrada muitas negatividades como raiva e ódio deixam de dominar a mente coletiva de um determinado grupo. Atos comuns cometidos por presidiários como assassinato, roubo, latrocínio, entre outros, são praticados por pessoas em estado mental regado a muito ódio, rancor, raiva, torpor, luxúria, desejo, aversão, etc, e quando aos poucos todas essas negatividades vão sendo eliminadas, logo os crimes vão sendo cessados.

O motivo da violência parece ser simples de ser explicado, mas não é tão simples alterar o estado mental das pessoas, sobretudo estados negativos da mente. É claro que o problema da violência e, consequentemente, do aumento da população carcerária, vai muito além de uma mente desequilibrada, pois problemas estruturais como falta de educação e desigualdade socioeconômica estão no alicerce dos problemas ligados à violência.

Felizmente existe a técnica de meditação Vipassana (do qual já falei aqui) que tem esse poder de purificação da mente. O trabalho de limpeza mental é difícil, porém perfeitamente possível para todas as pessoas que desejam eliminar condicionamentos mentais e ter uma vida mais equânime e equilibrada.

https://www.youtube.com/watch?v=N3dyVYm4tho

Retiro de meditação em presídios

Entidades religiosas e medidas socioeducativas já são bem aceitas dentro da prisão, mas e quando se fala em retiros de meditação em uma prisão? Ainda temos poucas experiências no mundo, mas podemos dizer os enormes benefícios já trazidos pelas experiências bem-sucedidas na Índia e Estados Unidos como uma das formas mais eficazes de reintroduzir os presos na sociedade e de trazer mudanças e novas perspectivas de vida de quem se encontra preso.

No Brasil ainda há uma certa resistência em permitir deixar entidades “alternativas” que fujam do habitual aspecto religioso, porém a experiência de ritual com ayahuasca no país e o primeiro retiro de meditação dentro de um presídio brasileiro, que está ocorrendo nesse exato momento enquanto escrevo esse post, mostra que o início de uma abertura para abordagens socioeducativas alternativas começa a engatinhar no Brasil, o que é uma vitória para a vida dos presos e para a sociedade como um todo.

Como desafio para realizar um retiro em presídio, conseguir apoio dos gestores do presídio é fundamental. Foi exatamente isso que ocorreu em um presídio próximo a Belo Horizonte, onde os próprios gestores e agentes penitenciários fizeram um retiro de 10 dias, sentiram os benefícios da Vipassana e então apoiaram a realização do primeiro retiro de meditação Vipassana no Brasil dentro de uma prisão, representando um momento histórico e de grande importância, pois pode ser o primeiro de muitos que irão ocorrer.

Citei acima as experiências bem-sucedidas na Índia e nos Estados Unidos, e abaixo trago dois documentários, um sobre a experiência indiana, Tempo de Espera, Tempo de Vipassana (1993), que teve como retorno positivo a diminuição de reincidência, uso de drogas e corrupção, além de uma relação mais harmoniosa entre agentes penitenciários e presos. O segundo, Dhamma Brothers (2007), foi realizado em uma penitenciária de segurança máxima nos Estados Unidos com presos cujas sentenças eram prisão perpétua e pena de morte.

Vale a pena assistir os documentários para você se sentir inspirad@ em realizar um retiro de 10 dias e também refletir sobre a liberdade.

Tempo de Espera, Tempo de Vipassana (1993)

Dhamma Brothers (2007)

 

Compartilhe com o Universo
  • 205
    Shares
Etiquetas
Fechar
Fechar